A PROPÓSITO DO ENCERRAMENTO DA CATEQUESE E DOS BANCOS VAZIOS NA EUCARISTIA

Sem categoria

Foi no dia 15 de junho que se encerrou mais um ano da Catequese da Infância… Em todos os Centros da nossa Paróquia, as crianças, os catequistas e suas famílias juntaram-se para conviver em torno do pretexto de um lanche partilhado e algumas brincadeiras festivas… Uma tarde divertida, descontraída e plena de sorrisos e abraços… Alguns não vieram… Tinham as compras para fazer, a casa para arrumar, o futebol ou a piscina… Opções que cada um é livre de fazer, pois está claro…
Domingo, dia 16, Dia do Senhor… desolador o cenário na Eucaristia: os bancos normalmente reservados à Catequese estavam vazios… “Nada de novo”, dirão alguns! “Normal, chegaram as férias”, dirão outros. “Triste! Muito triste”, digo eu…
Ao longo do ano, os Catequistas deram o seu melhor… Um serviço voluntário, uma entrega diária no meio de mil e um afazeres exatamente iguais ao do mais comum dos mortais! Sim! Porque os Catequistas também vão às compras! Também têm filhos e família para cuidar! Sim! Os Catequistas também trabalham, estudam! “Óbvio!”, dirão alguns… Não… Não é tão óbvio como parece, meus caros! Há sempre aqueles que confundem o papel do Catequista com o papel de um qualquer trabalhador da área da educação que tem a obrigação de tomar conta dos nossos meninos, enquanto aproveitam para descansar deles um bocadinho… Há até quem pense que não temos mais nada que fazer e por isso nos dedicamos a estas coisas da Igreja… Magoa! Custa chegar ao final do ano e sentir que até parece que durante estes meses andamos a aborrecer o sossego das pessoas… Tantas cartinhas, tantos lanches, tantas atividades… E agora até andamos com a mania de querer que os pais venham à Catequese, vejam lá!
Talvez seja por isso que verificamos uma diminuição grande no número de pessoas interessadas em ser Catequistas… Não é qualquer um que está disposto a abdicar do descanso, da família, para vir fazer Catequese com os filhos dos outros!
Não! Não nos empenhamos com a intenção de sermos elogiados ou presenteados… Não estamos à espera de agradecimentos, pois prestamos serviço a Deus e não aos Homens e é Ele que nos recompensa com o dom da Vida, da Alegria e da Esperança… Mas… Que bom seria se após o encerramento da Catequese os bancos continuassem cheios dos sorrisos dos nossos meninos e meninas, acompanhados dos seus pais… Que bom seria…
Talvez no dia em que alguns se vejam confrontados com o facto de quererem um Catequista para os seus filhos e não o terem … Talvez aí se comece a dar mais valor a todas estas pessoas de bem que se entregam à apaixonante missão de semear nos mais pequenitos a sementinha da Fé! Mas não esqueçamos que fazê-la crescer, dar flores e frutos abundantes é responsabilidade não só dos Catequistas, mas de toda a Comunidade Cristã…
Boas férias com Jesus, na certeza de que Ele está sempre lá…
Fernanda Albertina

Sem comentários

Deixe uma resposta

Allowed tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>